Especial: A facção criminosa de Fortaleza (Ceará) Guardiões do Estado (GDE) como você NUNCA viu



Especial: A facção criminosa de Fortaleza (Ceará) Guardiões do Estado (GDE) como você NUNCA viu

Inscreva-se na TV Coiote e continue informado!

Notícias de política, segurança e criminalidade, curiosidades e muito mais!

Siga a TV Coiote nas redes sociais:
Site: http://www.tvcoiote.com/
Facebook: https://www.facebook.com/tvcoiote
Twitter: https://twitter.com/tvcoiote
Instagram: https://www.instagram.com/tvcoiote

Anuncie na TV Coiote: 
http://www.tvcoiote.com/p/anuncie.html

Origem e Poder
-Poder público suspeita da fundação em 2012.
- A GDE estaria recrutando mais gente que as outras facções porque não cobra a mensalidade do crime. Como fazem PCC e CV. Não obrigatoriamente, mas para impor respeito no seu espaço, um membro da GDE gosta de exibir o “745” em alguma tatuagem pelo corpo.
-Número da facção: 745. Os números são a posição das letras no alfabeto: G=7, D=4, E=5.
-Área de influência: Nos bairros de Fortaleza:
 Sapiranga (base da facção), Aerolândia, Serviluz, Vicente Pizón, Edson Queiroz, Sapiaguaba, Lagamar Castelo Encantado, Macuripe, Vila Velha e Parque Leblon. Praia do Futuro, Caça e Pesca foram conquistas rescentemente.
-Uma facção descentralizada, que tem uma liderança em cada bairro, atua fortemente no tráfico de drogas, em roubos de veículos e de residências e principalmente, a facção que aceita adolescentes e adultos jovens com a promessa de uma vida promissora no crime. Assim os Guardiões do Estado decidiram que não seriam mais uma torcida organizada e que fariam uma espécie de 'associação' de criminosos, que agiam no Conjunto Palmeiras.
-Com um começo não muito promissor, a GDE foi descoberta pelo Comando Vermelho e passou a agir de forma mais incisiva, inclusive na onda de ataques anterior, ocorrida em abril de 2016, quando um carro-bomba foi colocado em frente à Assembleia Legislativa do Estado.
-"A facção é nova e formada por gente nova e inconsequente. Até no crime, com o tempo as pessoas vão criando um discernimento, um cuidado que os integrantes da GDE ainda não tem. Em sua maioria são adolescentes e adultos jovens, que não tiveram acesso a educação e a outros serviços básicos. Eles são, infelizmente, o produto de uma vida totalmente desregrada e sem perspectiva nenhuma de ascensão financeira, a não ser pelo crime", afirmou um servidor da Secretaria de segurança Pública, que não quis se identificar.

Facções Rivais e Aliadas
-As unidades prisionais seriam dominadas por pelo menos seis facções. PCC, CV, GDE, Família do Norte (FDN), Amigos dos Amigos (ADA) e Equipe Mentes Criminosas (EMC).
-Segundo o investigador da SSPDS, o Comando Vermelho foi o primeiro grande aliado da GDE. "Eles têm um nível de organização diferente do PCC. Ao PCC não interessa aliado que não tenha poder, já o Comando Vermelho é mais permissivo. Foi quando eles deixaram de ser criminosos de bairros e passaram a se sentir parte do que eles consideram grande. Foi quando eles sentiram que já não eram mais uma gangue, mas uma facção".
-Seria a terceira força dentro do sistema prisional do estado. (Isso não é 100% concreto). 600 homens nas cadeias locais, PCC têm cerca de 1300 nas unidades prisionais. Comando Vermelho têm 1100.
-O Comando Vermelho controlaria a Rosalina, Riacho Doce, Serrinha, Mondubim, Barroso, Babilônia, Bela Vista, Gueto, Pirambu e Padre Andrade.
-O Primeiro Comando da Capital (PCC) teria “soldados” na Favela da Mana, Maraponga, uma parte da Serrinha, Barracal do Itapery, Dias Macêdo e Bom Sucesso.
-Comando Vermelho e FDN planejariam expandir ainda mais a atuação no estado.

Ataques em 2017 
-Em setembro de 2016, um relatório Gaeco/MPCE apontou que o PCC, CV e GDE comandaram as rebeliões de maio no sistema penitenciário do Ceará. O levante terminou com 14 mortes de detentos.
-As ordens de ataque partiram de 3 integrantes em Vicente Pizón, que já estão presos.
- Alguns bilhetes, era exigida a separação dos integrantes do CV e da G.D.E . No entanto, as transferências foram vistas com maus olhos pela G.D.E, por signficar perca de influência nas unidades.
-Com o racha nacional entre o PCC e o CV, as outras facções também foram afetadas e sentiram os reflexos. Aos poucos a parceria entre CV e PCC foi se desfazendo e a facção local se aproximou do PCC dentro do presídio. "Está sendo investigado até se o líder do FDN morto aqui não veio para dar algum apoio logístico ou com armamento às outras facções. Volto a dizer: a GDE não são aliada do PCC ou FDN. Apenas têm um inimigo em comum. O que existe é apenas uma aproximação", disse o policial.
- Ao todo, entre 19 e 21 de Abril, 23 ônibus foram incendiados, assim como seis carros de serviços públicos, e delegacias, bancos e a sede da Guarda Municipal de Fortaleza foram alvo de disparos de armas.

Comentários