ODEBRECHT FINANCIOU MILÍCIAS , GUERRILHAS E SEQUESTROS



ODEBRECHT PAGOU MIÍCIAS , GUERRILHAS E SEQUESTROS

Inscreva-se na TV Coiote e continue informado!

Siga a TV Coiote nas redes sociais:
Site: http://www.tvcoiote.com/
Facebook: https://www.facebook.com/tvcoiote
Twitter: https://twitter.com/tvcoiote
Instagram: https://www.instagram.com/tvcoiote

Anuncie na TV Coiote: 
http://www.tvcoiote.com/p/anuncie.html

Odebrecht diz que usou caixa 2 para pagar milícia, guerrilha e resgate de sequestro

O empresário Marcelo Odebrecht afirmou em depoimento que, além de propina para políticos, o dinheiro de caixa 2 da empresa foi utilizado para pagar milícias em favelas do Rio de Janeiro, guerrilheiros em países da América Latina e mesmo resgate de sequestros.
Odebrecht fez a declaração ao Ministério Público Federal dentro de acordo de delação premiada no âmbito da Lava Jato. Os depoimentos dos ex-executivos da empresa basearam a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin de autorizar a investigação de 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados.
“Você não entra em países com guerrilha e favelas no Rio sem pagar milícias. Então, tem muito dinheiro que corre, inclusive você paga sequestro. Pra trazer o corpo de um engenheiro nosso que foi sequestrado no Iraque, eu participei, junto com o governo brasileiro e italiano, de uma negociação. A gente deu, se não me engano, um, cinco milhões de dólares, que foram pagos por fora”, disse Marcelo Odebrecht. (veja no vídeo acima)
“A gente pagou [resgate de] sequestro na Colômbia, no Peru... você vai pra esses lugares, o subcontratado quer dinheiro, não transita nota fiscal”, complementou o delator.
Índios, policiais e sindicalistas
Henrique Valadares, outro ex-executivo da empresa que fechou acordo de delação na Lava Jato, que sindicalistas, policiais e índios de Rondônia receberam pagamentos da construtora para evitar problemas nas obras das hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau. Ele não especificou, contudo, os valores transferidos.
De acordo com Valadares, sindicalistas de Rondônia "cobravam pedágios mensais" à Odebrecht para "não apoiarem greves, atos de violência, esse tipo de coisa." O delator explicou, ainda, que os repasses a policiais de Rondônia serviam para pagá-los por "bicos" que eles faziam ao "dar proteção nos canteiros de obras das hidrelétricas".
Valadares afirmou, também, que caciques de tribos indígenas da região receberam dinheiro, mas não explicou o motivo desses repasses.

Comentários