GN - Uruexit: Uruguai prestes a deixar Mercosul

Giro de Notícias - Uruexit: Uruguai prestes a deixar mercosul
Inscreva-se na TV Coiote e continue informado!

‘Uruexit’: o Uruguai se afasta do Mercosul
Com um pequeno mercado e depois de comprovar que não terá a proteção dos seus vizinhos, o Uruguai sente a necessidade de se abrir para o mundo

O Governo do Uruguai pretende avançar na assinatura de um tratado de livre comércio com a segunda economia mais poderosa do mundo, a China, depois de selar um acordo semelhante com o Chile este ano. A atual estratégia de diversificação de acordos fora do Mercosul, algo impensável há uma década, quando a associação com o Brasil, Argentina e Paraguai, era a prioridade política e econômica do país. Mas em menos de 10 anos, o Mercado Comum do Sul se deteriorou a tal ponto que o consenso no Uruguai é total – da esquerda à direita: é necessário se afastar de uma “jaula fechada para o mundo”, como já é classificado nos ambientes políticos e financeiros.

As razões que levam a valorizar os benefícios do Uruexit são, essencialmente, econômicas: na última década, o comércio entre os sócios do Mercosul diminuiu, as negociações com a União Europeia, Estados Unidos e China fracassaram e o crescimento da região é menor do que no resto da América Latina.

Em seu caminho, os uruguaios enfrentaram o veto do líder indiscutível na América do Sul, o Brasil, que essa semana fechou a porta para que o Mercosul autorizasse as negociações do vizinho com a China. A legislação do bloco comercial impede negociar tratados bilaterais sem que seus membros tenham alcançado um consenso prévio. A segunda economia do clube comercial, Argentina, mostra-se um pouco mais flexível, mas defende um acordo com a potência asiática dentro do Mercosul. Finalmente, o Paraguai apoia as reivindicações uruguaias com o argumento da defesa dos interesses dos países pequenos do organismo.