Ataques do PCC em São Paulo - Guerra de Facções

Giro de Notícias: Ataques do PCC em São Paulo - Guerra de Facções

Inscreva-se na TV Coiote e continue informado!

DATA BOMBA: FEVEREIRO DE 2017: PCC VAI ROMPER TRÉGUA COM GOVERNO DE SP: MARCOLA VAI SEGUIR NA SOLITÁRIA

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, anunciou nesta segunda-feira que o governo autorizou o envio de 200 homens da Força Nacional de Segurança aos estados de Roraima e Amazonas.

Já o presidente Michel Temer (PMDB) disse nesta segunda-feira em evento no Rio Grande do Sul que gostaria de construir escolas e postos de saúde, mas que a crise carcerária vivida pelo país o obriga a anunciar a construção de presídios, considerada “imperiosa” por ele.

Também nesta segunda-feira, o secretário estadual de Administração Penitenciária de São Paulo, Lourival Gomes afirmou que São Paulo não está livre de motins, mas negou que haja estado de alerta. Estabeleceu que não é possível comparar os episódios que aconteceram no Norte do país com a situação paulista.

Lourival mente. Vou te provar porque.

Em 14 de dezembro passado, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo determinou a transferência da cúpula do Primeiro Comando da Capital (PCC) para o presídio de Presidente Bernardes (SP), onde os detentos são submetidos ao regime disciplinar diferenciado (RDD).

O RDD é nossa prisão de Guantánamo: prevê que o detento fique isolado numa cela, com direito a apenas duas horas diárias de banho de sol e duas visitas por semana também de duas horas. Entre os conduzidos ao RDD há quase um mês, estão Marcos Herbas Camacho, o Marcola; Antonio José Muller Junior, o Granada; Paulo César Souza Nascimento Júnior, o Neblina; e Paulo Pedro da Silva, o Beiço; e Valdeci Francisco Costa, o CI.

Valdeci Francisco Costa, o CI., é segundo autoridades o “CEO do PCC”. Referem as investigações que Valdeci Francisco Costa é responsável por estruturar um grupo de advogados da facção,  afeitos a servicinhos sujos como pagar propina a autoridades corruptas, infiltrar-se em órgãos de direitos humanos e ser o canal de comunicação entre a liderança encarcerada e os subalternos soltos.

A internação no RDD se deu como resultado da âmbito da Operação Ethos, que denunciou 54 pessoas por associação criminosa e corrupção. Entre os alvos, estavam os integrantes do chamado “Conselho Deliberativo” do PCC, encarcerado na penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP);  e também o grupo de advogados autointitulado de “célula R” e o ex-vice-presidente do Condepe (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana), Luiz Carlos dos Santos.

Bem… agora a mentira que do  secretário estadual de Administração Penitenciária de São Paulo, Lourival Gomes –para quem, segundo ele mesmo disse nessa segunda-feira, São Paulo não está em estado de alerta.

Este blog apurou que um telefonema disparado do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, à autoridade que determinou o RDD para Marcola, pediu  que Marcola não voltasse ao RDD. Obviamente o Palácio não foi atendido.

Marcola se submeteu. Afinal o Palácio dos Bandeirantes, creiam, o fez crer que ele sairia do RDD agora em fevereiro de 2017, quando vence seu RDD.

Mas Marcola vai continuar no RDD. E nem ele sabe ainda disso…

Assim que Marcola for reconduzido ao RDD, o PCC não vai perdoar ninguém. E será encerrada a trégua com Alckmin.

Fevereiro pode ser mais negro que asa de graúna, lamento informar…